a c e b o o k
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

workshops forcabe 543w por 1050H AutoNailArt

12072637 539844846179188 3084608455638772234 n

Nas disciplinas de Dança Portugal será um dos grandes protagonistas durante o Campeonato do Mundo de Patinagem Artística - Novara 2016 e esperemos que seja o protagonista principal, pois temos todas as razões para acreditar em tal desejo. No entanto, patinar na casa do maior concorrente não é fácil e algumas classificações podem ter uma tendência não muito favorável aos patinadores portugueses.

Juniores

Para começar em Solo Dance Juniores Femininos, a nossa seleção está muito bem representada em Novara com as duas vezes campeã e bi-campeã da Europa, Ana Walgode e Mariana Souto, respetivamente. Walgode é ainda vice-campeã mundial e uma clara favorita ao ouro neste campeonato. Uma atleta muito completa, com uma velocidade constante e com coreografias muito difíceis tecnicamente. O ouro, que já devia ter sido dela em 2015, poderá vir definitivamente para Portugal, sendo então a primeira portuguesa campeã do mundo. Mariana Souto foi quinta classificada na sua estreia do ano transato e volta ao mundial como uma das favoritas. Pode muito bem ir ao pódio, pois tem qualidades que lhe sobrem, mas terá que estar no seu máximo numa prova que promete ser muito renhida e com muita participação. As patinadoras italianas são outras fortes candidatas ao pódio. Martina Camana foi bronze no ano passado e campeã italiana em julho e é a mais forte candidata da Itália. A sua colega Camila Barguino terá também uma palavra a dizer. Ana Beatriz Toledo foi uma grande surpresa em Cali e nesta segunda participação pode muito bem vir a ganhar uma medalha. Foi quarta há um ano e as suas qualidades ténicas e artísticas podem vir a ditar uma medalha para o Brasil no Solo Dance. Ter ainda em conta a representação argentina.

José Cruz tem sido um dos atletas sensação este ano com a sua subida ao esclão Júnior. Muitos o apontam como o grande favorito ao ouro e nós também acreditamos que sim. Venceu o Campeonato da Europa facilmente e encontra-se cada vez melhor nas suas performances. O facto de ser a sua estreia é que o pode intimidar. O colombiano Brayan Carreño foi também uma surpresa no mundial transato, mas a sua qualidade justificou tal fantástico resultado. É ainda bastante novo, mas prepara-se para ser um dos patinadores da disciplina a se ter muita atenção. Melhorar aqui o resultado de Cali seria um extraordinário feito. Nicola Marenda é o atual vice-campeão mundial e este campeonato em casa é a receita para vir a obter o ouro. No entanto, a sua concorrência é bastante forte e terá que estar muito bem para bater todos os patinadores em competição. O alemão Tim Schuur venceu a medalha de prata no passado mês no europeu e colocou-se aqui numa excelente posição para este mundial de Novara. É, sem dúvida, um patinador muito bom, mas talvez lhe falte ainda um pouco de nome, sendo também de um país com pouca expressão na Dança. Uma estreia para ser assistida. Fedrico Comin (ITA) também estará presente e pode vir a surpreender, bem como o americano quarto lugar do ano passado, Benson Kuan.

Em Pares de Dança, Portugal volta a ter mais uma participação favorita. Daniela Dias e José Cruz foram campeões europeus este ano e vêm para os seus primeiros mundiais como candidatos a uma medalha. As duplas italianas também são estreantes, mas vêm para devolver o ouro à Itália. Os campeões e vice-campeões italianos são possuidores de uma boa patinagem, com experiência individual, e com provas sem falhas podem vir a obter mais duas medalhas para o seu país. Há que prestar atenção ainda à dupla argentina Lucia Fernandes/ Luciano Preto e às norte americanas, que começam a ganhar experiência.

Seniores

Se a competição em Juniores será interessante, em Seniores não será menos, apesar dos favoritos terem algum destaque. Em Femininos, Silvia Sitbilj deverá renovar o seu título. Tudo aponta para tal e é uma patinadora espetacular, com uma presença lindíssima. Dalila Laneve não tem a mesma experiência que outras patinadoras italianas, mas foi segunda a nível nacional o que prova muita coisa. A concorrência à prata e bronze é muito feroz por parte de patinadoras sul americanas, mas sem dúvida que Laneve estará na discussão. A concorrência da América do Sul é Viviana Osório, vencedora duas vezes do bronze e que tem uma velocidade assustadora e uma garra enorme, contudo este ano já foi ultrapassada por Micaela Magliocco no Campoenato Pan-Americano, o que lhe colocou com muito boas hipóteses para estes mundiais. Carolina Varela é patinadora para um top 5, pois tem um trabalho de pés impressionante e apresenta-se sempre bastante segura. Talvez com pouca experiência a nível internacional e a precisar de criar nome, mas a portuguesa estreia-se no escalão máximo com uma participação a nível mundial, o que é fantástico para ela. A americana Jessica Gaudy possui muita experiência e vem a mais um Campeonato do Mundo obter um bom resultado, com certeza. Outros nomes também se destacam como a francesa Aline Sepho ou Cecilia Liendo (ARG).

O título mundial de Seniores Masculinos é português. Ricardo Pinto explodiu em Cali e venceu dois campeões do mundo já consagrados. Encontra-se cada vez melhor, sempre seguro, veloz e com um trabalho de pés extraordinário, mas vai a Novara defender um título, o que já é difícil, e ainda na casa dos seus maiores rivais, que devem estar à espera de um grande resultado para, talvez, acabarem as suas carreiras em grande. Acreditamos que com mais três provas fantásticas será bi-campeão mundial, como o seu treinador. Daniel Morandin e Alessandro Spigai são nomes que já estão na história do Solo Dance mundial e querem, com toda a certeza, o ouro ao patinarem no seu país. Spigai esteve lesionado esta época, o que pode prever menos preparação, mas tem experiência para colmatar. Morandin tem uma Dança Livre interessante. Serão estes patinadores os prováveis vencedores das medalhas, mas a sua disposição só se saberá no final de todas as provas. José Souto é o atual bi-campeão mundial Júnior e estreia-se em Seniores depois de um europeu menos conseguido. Sem dúvida que estará ao seu melhor nível e entrar aqui na disputa pelo pódio, mas não nos podemos esquecer que é muito jovem. Qualidades não lhe faltam, que serão muito importantes para esta prova. Felipe Werle (BRA) deverá ser o homem que se segue, depois do quinto posto no ano passado. Hedi Megadi, que já foi campeão do mundo Júnior, também vai marcar presença.

Na competição de Pares, mais dois pares consagrados italianos aparecem como favoritos, os campeões do mundo Elena Leoni/ Alessandro Spigai e os vice-campeões Silvia Stibilj/ Andrea Bassi. Ambos com experiência, medalhas e reputação. O ouro não deverá escapar aos atuais medalha de ouro, mas as duplas portuguesas têm muita qualidade para a disputa da prata. Os irmãos Walgode e os irmãos Souto são também medalhados, campeões e sem dúvida uma lufada de ar fresco a esta disciplina, com imensa orginalidade. Ana Walgode e Pedro Walgode foram o primeiro Par de Dança Sénior nacional medalhado num mundial e Mariana Souto e José Souto os primeiros campeões do mundo. Vêm para Itália como campeões da Europa e possuem um Dança Livre muito emotiva, com um tema forte. Estarão aqui numa competição renhida, que não vamos querer perder. Há ainda a terceira dupla italiana, Rachel Campagnol/ Alberto Maffei, e os colombianos Marcela Cruz/ Leonardo Parrado, quintos e sextos classificados há um ano. Novas duplas, e estreantes, também surgem nesta competição e podem surpreender.

 

Veja aqui a Previsão do nosso convidado Paulo Santos para Solo Dance e Pares de Dança.

Sponsored by: 

workshops para rodapé Noticias PenteadosdeNoiva